• O dia do peru

    Katya Delimbeuf

    A quarta quinta-feira de novembro é Dia de Ação de Graças nos EUA e no Canadá. O "dia do peru" também se celebra por cá, entre a comunidade americana e não só. Mas afinal, o que festeja no "Thanksgiving"?

  • Mexefest. Dez concertos que é melhor não perder

    Helena Bento

    Concertos para nos deixarmos deslumbrar, alegrar ou inquietar, para pensar ou, pelo contrário, nada disso e apenas dançar, como quisermos, muito, pouco, corpo inteiro ou, pelo contrário, pés tesos, colados no chão, anca discreta, cabeça meneando levemente. Eis tudo aquilo a que terá direito em Lisboa entre esta sexta-feira e sábado, no Mexefest, com artistas como Julia Holter, Sevdaliza, Destroyer, Cigarettes After Sex, Surma e Oddisee. Entre outros

  • Ninguém sabe o que aconteceu a dois homens, 38 dias depois

    Raquel Albuquerque

    O fogo de 15 de outubro matou 45 pessoas e apagou o rasto de outras duas. A Polícia Judiciária, com apoio do Laboratório de Polícia Científica, ainda está a investigar o que terá acontecido a dois homens – um de Folgosinho, no concelho de Gouveia, e outro da Sertã. A família de um deles pediu ajuda nas redes sociais para o encontrar

  • A história do declínio de uma das maiores construtoras nacionais

    Abílio Ferreira (texto) Paulo Alexandrino (fotos)

    Somague despede 570 funcionários em dois anos e negoceia com a banca a reestruturação financeira, para ajustar a dimensão à nova realidade do sector da construção e “voltar a ser um agente ativo e relevante”. A empresa-mãe, a multinacional espanhola Sacyr, quer vendê-la, a construtora desmente

  • Um dia alguém me disse que não é possível amar uma mulher que não saiba cair

    Ana França

    Aldous Harding é nome de homem. Ela diz que é a versão feminina de “Alice”, um nome que lhe lembra a necessidade de explorar. “Party” é o segundo disco da neozelandesa de 26 anos, que vai estar em Lisboa este sábado, e é uma aula de cirurgia vascular: as pausas e o espaço são instrumentos, tudo é lá colocado com pinças e é a voz prodigiosa de Harding, moldável como plasticina nas mãos de crianças, que dá às canções a sensação de vertigem. Um dia alguém me disse que não é possível amar uma mulher que não saiba cair