Tiago Pereira Santos

Tiago Pereira Santos

  • Desculpa, Eder

    Mundial 2018

    Diogo Pombo e Tiago Pereira Santos

    Que bonito seria se a mesma maçã caísse da mesma árvore, no mesmo sítio, e daqui por dois meses houvesse Eder, a contrato com um clube russo, a marcar o golo para dar a Portugal o Mundial organizado por russos. Mas Fernando Santos poupou-o às consequências de um eventual realinhamento dos planetas e, pela segunda prova seguida, a seleção nacional não terá o responsável pelo maior momento de alegria do futebol português

  • O “Zandinga”, o show de Marcelo e os elogios inflamados ao PCP: um best of em vídeo dos congressos do PSD

    Política

    No dia em que arranca o congresso que consagrará Rui Rio como líder do PSD, recordamos alguns momentos marcantes e animados que fazem a história do partido. Este é um best of possível, que inclui o ataque ‘astrológico’ de Durão contra Santana, os elogios improváveis ao PCP ou até a tirada de Luís Filipe Menezes que pôs os militantes em polvorosa e acabou por dar nome a um livro

  • O “Zandinga”, o show de Marcelo e os elogios inflamados ao PCP: um best of em vídeo dos congressos do PSD

    Diário

    Mariana Lima Cunha e Tiago Pereira Santos

    Em vésperas do congresso que consagrará Rui Rio como líder do PSD, recordamos alguns momentos marcantes e animados que fazem a história do partido. Este é um best of possível, incluindo o ataque ‘astrológico’ de Durão contra Santana, os elogios improváveis ao PCP ou até a tirada de Luís Filipe Menezes que pôs os militantes em polvorosa e acabou por dar nome a um livro

  • Em silêncio: as perguntas a que Costa nunca respondeu

    Política

    Mariana Lima Cunha e Tiago Pereira Santos

    Em teoria, o primeiro-ministro tem 30 dias para responder às perguntas que os deputados lhe enviam por escrito. Mas uma parte das questões, sobretudo sobre a banca, não foi alvo de qualquer esclarecimento. Desde julho de 2017 que António Costa não responde – com uma exceção, depois de o Expresso noticiar precisamente o silêncio a propósito do polémico jantar da Web Summit no Panteão Nacional

  • Em silêncio: as perguntas a que Costa nunca respondeu

    Diário

    Mariana Lima Cunha e Tiago Pereira Santos

    Em teoria, o primeiro-ministro tem 30 dias para responder às perguntas que os deputados lhe enviam por escrito. Mas uma parte das questões, sobretudo sobre a banca, não foi alvo de qualquer esclarecimento. Desde julho de 2017 que António Costa não responde – com uma exceção, depois de o Expresso noticiar precisamente o silêncio a propósito do polémico jantar da Web Summit no Panteão Nacional

  • O que Donald Trump fez pelo menos 2140 vezes em 365 dias

    Diário

    No início desta semana, por alturas do feriado americano dedicado a Martin Luther King, um artista do Haiti partilhou uma obra de arte que põe o rei da luta pelos direitos civis lado a lado com o atual Presidente dos Estados Unidos. Na gravura, King leva um dedo à boca em sinal de silêncio e tapa a boca de Donald Trump com a outra mão, enquanto o Presidente tenta publicar mais um tweet, na sua cabeça um boné com o slogan “Make America Great Again”. Foi este o contributo de Watson Mere para ilustrar o que foi o primeiro ano da presidência Trump

  • Vai ser a batalha do século

    Diário

    Se Donald Trump cair da cadeira ou sofrer um enfarte depois do quinto bife com ketchup do dia, alguém terá de lhe suceder imediatamente e a Constituição dita que seja o vice-presidente e logo depois o presidente da Câmara dos Representantes. Mas se Trump aguentar até 2020, aí as coisas ficam mais interessantes, porque tanto os republicanos como os democratas (com 30! potenciais candidatos) têm nomes de perfis profundamente distintos habilitados para o combate. Mas estamos afinal a discutir os possíveis sucessores de Donald Trump porquê? Porque agora que ele cumpre precisamente um ano de presidência, optámos por fazer um balanço do que há de ser 2020 e há muita agitação. E estupefação: “Preocupa-me que um duelo entre Trump e Oprah Winfrey confirme que a era de Trump não foi uma aberração mas o novo normal”