PGR: desconfiar do PS por princípio

Depois de Sócrates, depois desse golpe florentino chamado geringonça, depois da abjeta gestão dos incêndios, depois de dezenas de casos de nepotismo e corrupção, nós adquirimos o direito de desconfiar do PS. Eu desconfio do PS por princípio. Os antigos falam de uma era dourada do PS.

Tudo bem, não nego a possibilidade de o Rato ter sido sede de uma Camelot lusitana e luminosa, mas a verdade é que toda a minha vida adulta tem sido marcada pela crescente amoralidade e cinismo do PS; a falência financeira e moral do meu país confunde-se com o PS. E esta desconfiança aumentou nos últimos tempos, pois é cada vez mais claro que o PS funciona como uma família que se protege em circuito fechado.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido