• França e a tempestade perfeita

    Antes pelo contrário

    Daniel Oliveira

    Está a acontecer qualquer coisa e nem os seus principais protagonistas percebem bem o que seja. A única forma disto se tornar inteligível é ter atores inteligíveis. A primeira questão é quem conseguirá liderar a revolta difusa. A segunda é como se resgata a autoridade política de quem governa. E a terceira é como devolver capacidade política às democracias nacionais na Europa

  • Os atalhos parlamentares

    Opinião

    Daniel Oliveira

    Há dois tipos de atalhos no Parlamento: os que se compreendem e os dos chicos-espertos. Como o Parlamento não tem coragem de aumentar os deputados, arranja dezenas de subsídios, ajudas e apoios que componham o salário. Isto facilita a fraude. Depois há os atalhos dos chicos-espertos que, não ambicionando ser na política mais do que deputados mudos e caciques lá na concelhia, arranjam artimanhas para não perderem uns cobres

  • When Sócrates met Passos

    Antes pelo contrário

    Daniel Oliveira

    Repetem-se, em novas circunstâncias, os dois argumentos que responsabilizaram Portugal pela intervenção da troika: a aliança da esquerda com o PSD no chumbo do enésimo PEC que só Sócrates ainda acredita que nos salvaria e o suposto despesismo público a que Passos atribuiu as culpas da crise interna

  • Antes pelo contrário

    Daniel Oliveira

    A tentativa de circunscrever a contestação dos coletes amarelos a um movimento de extrema-direita não é inocente. Macron quer manter todos os democratas como reféns: ou ele ou Le Pen. Tudo o que este homem tem deixado, à esquerda, à direita, no campo democrático e até na agenda ambiental, são quilómetros de terra queimada