Diário

Em dez anos, Europa alertou para 49 produtos portugueses perigosos

As roupas deram origem à maior parte das queixas contra produtos portugueses. 24 modelos foram retirados por serem considerados perigosos

getty

49 produtos portugueses tiveram de ser retirados do mercado depois de terem sido emitidos alertas pelas autoridades dos vários países que fazem parte do sistema de notificações europeu. Os produtos mais perigosos são, contudo, os chineses

Os números constam do sistema de alertas rápidos sobre produtos perigosos que permite a 31 países partilharem informação quando identificam riscos para a segurança num artigo posto no mercado. Alertas para produtos com origem na Alemanha ou em França, por exemplo, ultrapassam os 200. Mas mais de metade dos produtos perigosos que chegam à Europa têm origem na China.

Um candeeiro de iluminação de rua tem de estar preparado para, por exemplo, enfrentar a água da chuva, projetada em todas as direções pelo vento, mesmo que esteja já ligado há várias horas e tenha aquecido. Um cabo elétrico instalado numa casa deverá ter resistência suficiente para não propagar rapidamente um fogo em caso de incêndio. Para saber se essas condições estão garantidas é preciso testar os produtos em laboratórios especializados e é isso que se fez esta segunda-feira numa demonstração organizada pela Comissão Europeia num laboratório em Bruxelas, acreditado pelas autoridades belgas, para testar vários materiais e produtos elétricos.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)