Diário

Portugal perde 7% dos fundos europeus mas é o país que mais ganha com a mudança de critérios

Foto Luís Filipe catarino

A Comissão Europeia propôs esta terça-feira novos critérios para a repartição dos fundos da coesão pelos 27 Estados-membros. Para Portugal é mau, mas podia ser bem pior

É uma sensação amarga e doce a que resulta da proposta apresentada esta terça-feira pela Comissão Europeia quanto à repartição do orçamento da política de coesão no próximo quadro comunitário, relativo ao período 2021/2027.

Pela negativa, os pacotes financeiros hoje propostos para cada um dos 27 membros mostram que Portugal deverá sofrer um corte na ordem dos 1,6 mil milhões de euros (-7%) face ao atual quadro, relativo ao período 2014/2020. Mas, pela positiva, contas da Comissão Europeia a que o Expresso teve acesso revelam que Portugal acabou por evitar um corte bem maior, na ordem dos 6,9 mil milhões de euros (-30%).

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)