Diário

Demissões no Hospital de São José não foram aceites

Foto Paulo Vaz Henriques

Chefes de equipa de medicina interna e de cirurgia geral que entregaram carta de demissão na passada sexta-feira continuam nos cargos. Os 16 especialistas em causa denunciaram uma “situação de emergência” e defenderam ser necessário “um plano de catástrofe”

Os 16 responsáveis pelas equipas de medicina interna e de cirurgia geral que prestam funções na Urgência do Hospital de São José, em Lisboa, que se demitiram na passada sexta-feira continuam em funções. Os pedidos não foram aceites pela administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC), que integra o São José.

Ao Expresso, os assessores da presidente, Ana Escoval, confirmaram esta quarta-feira que a missiva dos chefes de equipa, tornada pública no final da semana passada, não surtiu efeito, isto é, não levou ao afastamento de funções como pedido. As razões para a decisão da administração do CHLC não foram, no entanto, reveladas. Seja como for, é regra na administração pública que um médico com funções de chefia só pode abandonar o cargo quando está assegurado quem o substitua.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)