Economia

Altice “confiante” na análise da AdC à compra da TVI

Luís Barra

Dona da MEO diz-se “totalmente disponível para colaborar” com a AdC na análise à compra da Media Capital e critica "pressão sem precedentes" sobre os reguladores “por parte de concorrentes, que utilizaram os seus próprios meios de comunicação para veicular os seus próprios interesses”

A Altice diz estar "plenamente confiante" de que a Autoridade da Concorrência vai analisar "de forma objetiva" o negócio da compra da Media Capital, dona da TVI, fechado em agosto entre o grupo francês e a Prisa por 440 milhões de euros.

Um dia depois de a Entidade Reguladora para a Comunicação Social não ter conseguido emitir uma deliberação conclusiva sobre esta operação, a Altice diz agora estar "totalmente disponível para colaborar construtivamente com a AdC de forma a levar o procedimento regulatório relativo à Media Capital a uma conclusão positiva".

Num comunicado enviado às redações, a Altice diz ainda ter tomado "nota da pressão sem precedentes que impendeu sobre os reguladores nas últimas semanas, por parte de concorrentes, que utilizaram os seus próprios meios de comunicação para veicular os seus próprios interesses".

Defendendo que a AdC "é quem melhor se posiciona para analisar esta transação na sua totalidade e determinar se, e que, condições serão necessárias", o grupo reitera ainda que, apesar dos alertas já feitos pela Autoridade Nacional das Comunicações e pelos serviços da ERC, a integração da Media Capital na esfera da PT/MEO "será altamente benéfica para Portugal, para a cultura portuguesa e para a economia portuguesa".

Nomeadamente porque, prossegue a nota enviada às redações, a operação "trará investimento direto para Portugal", "salvaguardará e fará crescer os níveis de emprego no setor dos media em Portugal", "promoverá o progresso na agenda digital de Portugal", "tornará os conteúdos mais acessíveis para todos os portugueses", "fortalecerá a criação de conteúdos locais portugueses,"garantirá um ambiente justo e competitivo no setor dos media em Portugal" e "protegerá valores portugueses fundamentais como o pluralismo dos media, liberdade de expressão e liberdade editorial".

  • ERC falha consenso para chumbar venda da TVI

    Membros do conselho regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) chegaram a acordo sobre o teor do relatório dos serviços, que criticava o impacto da operação nos mercados de media e telecomunicações. Mas faltou o consenso sobre as conclusões que chumbavam o negócio da venda da TVI à Altice, porque o presidente Carlos Magno não votou contra a operação. A análise à operação segue agora para a Autoridade da Concorrência (AdC) sem pronúncia do regulador dos media