Economia

“A recuperação económica de Portugal é espetacular”: os elogios de Moscovici

MÁRIO CRUZ / Lusa

Bruxelas revê em alta o crescimento do PIB português para 2,7% em 2017, face à média de 2,4% na zona euro. "A performance notável de Portugal com o crescimento impressionante do emprego" foi destacado por Pierre Moscovici, comissário para os assuntos económicos e financeiros da Comissão Europeia

Portugal teve "uma recuperação espetacular e uma performance notável", com uma "impressionante criação de emprego", salientou Pierre Moscovici, comissário para os assuntos económicos e financeiros da Comissão Europeia, numa conferência de imprensa que decorreu em Bruxelas para apresentação das previsões de inverno de 2018 da Comissão Europeia.

As previsões económicas para Portugal agora avançadas pela Comissão Europeia apontam para um crescimento de 2,2% em 2018 e de 1,9% em 2019.

Portugal teve uma taxa de crescimento mais elevada que a média da zona euro e da União Europeia que, segundo as "previsões intermédias" avançadas hoje pela Comissão Europeia, se cifrou em 2,4%.

"Hoje a Europa conhece finalmente um crescimento e sólido e durável", enfatizou o comissário europeu, salientando que o crescimento em 2017 na zona euro e em toda a União Europeia "foi o melhor dos últimos 18 anos, desde 2000".

Segundo Moscovici, o crescimento nas economias europeias indicia "uma expansão forte e durável", perpetivando-se também crescimento nas economias mundias, em particular da americana e dos mercados emergentes.

No caso de Portugal, as previsões de 2,7% do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017 ultrapassam em 1 ponto percentual as metas avançadas pelo Governo no sentido de atingir um crescimento de 2,6%.

Revistas em alta, foram também as previsões de crescimento económico na zona euro e em toda a União Europeia, ultrapassando as previsões de crescimento de 2,2% e de 2,3%, respetivamente, avançadas em novembro pela Comissão Europeia.

De acordo com as previsões de Bruxelas, a "boa performance" das economias europeias deverá estender-se a 2018 e 2019, com taxas de crescimento de 2,3% e de 2% respetivamente.

A inflação cifrou-se em 1,5% na zona euro em 2017, taxa que deverá manter-se em 2018 e aumentar um ponto percentual em 2018, atingindo 1,6%, adiantou ainda Pierre Moscovici

É a hora de fazer reformas estruturais, avisa Moscovici

Enfatizando que "a economia europeia revela uma saúde sólida neste começo de 2018" e que "a zona euro voltou a taxas de crescimento que já não conhecia desde a crise financeira", Moscovici sublinha ainda que "o desemprego e os défices públicos continuam a baixar e os investimentos estão finalmente a aumentar de forma significativa". Mas lembrou que há riscos do lado externo que "à data de hoje não é possível ainda avaliar", em particular associados à política norte-americana e ao Brexit.

O comissário europeu para os assuntos económicos e financeiros defende que "o crescimento económico também está mais equilibrado que nos últimos dez anos e pode tornar-se mais durável, sob condição de avançarmos com reformas estruturais inteligentes e políticas orçamentais responsáveis"."Este momento propício às reformas não vai durar eternamente", avisa Moscovici. "É agora que temos de tomar as decisões ambiciosas que se impõem para reforçar a união económica e monetária".