Economia

Há uma startup portuguesa que quer ensinar a blockchain a diretores e gestores

D.R.

Blockbird Ventures foi criada para ajudar empresas e entidades públicas a desenvolver soluções assentes nesta tecnologia na base das criptomoedas. Além de formação, aposta também na consultoria e na criação de pontes entre empresas e universidades

Foi criada por três empreendedores, um professor do Instituto Superior Técnico e pelo diretor de Tecnologias de Informação do Novo Banco e quer trabalhar com empresas e entidades públicas para as ajudar a desenvolver soluções assentes na blockchain. A Blockbird Ventures é, segundo os fundadores, a primeira empresa que oferece formação (e consultoria) para executivos sobre as potencialidades desta tecnologia na base das criptomoedas que permite registar, de forma transparente e descentralizada, listas de transações.

Foi por existir “um desconhecimento grande nas empresas sobre o que é a tecnologia blockchain e a sua aplicabilidade”, nas palavras de Pedro Martins, que decidiram lançar a empresa. O diretor de TI do Novo Banco, autor do primeiro livro sobre blockchain escrito em Portugal, será conselheiro de tecnologia e coordenador da oferta formativa da startup.

A empresa divide-se em três áreas. O Blockbird Factory é o braço da startup que desenvolve a oferta formativa para cada empresa. O Blockbird Labs, focado em criar ligações entre o mundo empresarial e universitário, conta com a coordenação científica de Miguel Pupo Correia, professor de Cibersegurança e Sistemas Distribuídos do Instituto Superior Técnico. Por fim, o Blockbird Studio é a vertente de consultoria às empresas, que conta já com alguns clientes que permitiram arrancar as operações sem financiamento externo.

Neste momento com sete cursos adaptados aos diferentes estágios de tomada de decisão de uma empresa, a startup portuguesa tem também cursos dedicados a programadores. A formação destinada a diretores e gestores de equipa tem três módulos, que vão desde o primeiro contacto com a tecnologia à sua aplicação no negócio da empresa e implementação da solução.

A Blockbird Ventures, que conta já com dois projetos na área da energia e da sáude, vai ainda trabalhar com os alunos que queiram transformar as suas ideias de negócio. “Existem vários alunos no Técnico a desenvolver soluções e a fazer investigação sobre esta nova tecnologia”, explica, em comunicado, o professor Miguel Pupo Correia. “A Blockbird é uma excelente ponte para fazer chegar estes projetos até às empresas e ao mundo real.”