Economia

Imobiliário atrai investimentos de 850 milhões

José Caria

O sector comercial, onde se incluem edifícios de escritório e centros comerciais, foi alvo de 850 milhões de euros de investimentos nos primeiros três meses do ano

É um dos trimestres mais lucrativos de sempre no mercado imobiliário nacional. Entre janeiro e março deste ano realizaram-se negócios no valor de 850 milhões de euros no segmento comercial, onde se incluem os edifícios de escritórios mas também as grandes superfícies comerciais.

Os dados, hoje divulgados pela consultora Worx, indicam ainda que só no primeiro trimestre de 2016 os valores andaram por perto, na casa dos 641 milhões de euros.

Os analistas daquela consultora notam ainda que, entre as principais operações de peso realizadas no mercado ao longo do primeiro trimestre deste ano, destacam-se a transação do Centro Comercial Dolce Vita, que foi comprado foi comprado pela AXA Investment Managers numa operação de 230 milhões de euros, mas também a venda da Blackstone à francesa Immochan de um portfolio composto pelo Sintra Retail Park, Forum Sintra e Forum Montijo no valor total de 411 milhões de euros.

A Sonae Sierra e a Espanhola Armórica compraram o Serra Shopping, na Covilhã, por 32,5 milhões de euros.

Investidores estrangeiros dominam

Segundo a Wrox, os investidores internacionais mantêm a liderança, com as nacionalidades de origem a alargarem cada vez mais o seu espetro – para além dos já tradicionais franceses. americanos, espanhóis ou alemães.

“O apetite internacional pelo mercado português continuará em alta, com o fator liquidez a ser direcionado para oportunidades em todos os segmentos, com destaque particular para os segmentos de promoção e escritórios”, sublinham os responsáveis da Worx.

Na nota de conjuntura hoje divulgada, esta consultora explica também que, “com as prime yields a baterem em níveis históricos, prevê-se que o mercado possa ainda contrair ligeiramente nos próximos meses, mas aproximando cada vez mais da trajetória de estabilização”.

Pedro Valente, responsável de mercado da Worx, explica que “a performance verificada no primeiro trimestre de 2018 veio comprovar os forecasts avançados no final de 2017 sobre os resultados muito positivos esperados para o mercado de investimento em Portugal”.