Economia

Inflação aumenta para 1% a reboque dos combustíveis

Estatísticas divulgadas esta terça-feira pelo INE coincidem com o valor anunciado na semana passada

A taxa de inflação aumentou para 1% em maio, mais 0,6 pontos percentuais (p.p.) que em abril. Os dados estatísticos relativos ao Índice de Preços no Consumidor foram esta terça-feira divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e coincidem com o valor que já tinha sido avançado pelo INE a 30 de maio.

Para esta evolução contribuiu não só o aumento dos preços dos combustíveis, mas também o calendário. Como a Páscoa este ano calhou a 1 de abril (ao contrário do ano anterior, em que tinha sido a meio do mês), os gastos associados a este dia não se repercutiram em abril - o que ajudou à subida de maio face ao mês anterior.

Nas últimas semanas, os preços dos combustíveis têm tido aumentos sucessivos, tendo registado máximos históricos desde 2014. Apesar disso, os preços voltaram a descer segunda-feira.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) teve uma variação homóloga de 1,4%, um valor superior em 1,1 p.p. face a abril. No entanto, o valor é inferior em 0,5 p.p. face à estimativa do Eurostat para a zona euro.

Restauração e hotelaria puxam preços

O sector dos transportes e o dos restaurante e hóteis foram aqueles que mais contribuíram para a taxa de variação homóloga, com 3,8% e 2,9%, respetivamente.

Pelo contrário, o sector do vestuário e do calçado foi o que teve um contributo mais negativo para a variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor.

Também no caso da variação mensal o sector dos restaurantes e hóteis deu o contributo mais positivo (com uma variação de 2,9%) e o dos acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente de habitação o mais negativo (com -0,4%).