Economia

Apoios às empresas somam 5000 a 6000 milhões de euros

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia

Nuno Botelho

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, em entrevista ao Expresso, avança algumas das medidas para as startups que são apresentadas esta manhã pelo governo. E garante que tem havido apoios substanciais às empresas

João Silvestre

João Silvestre

Editor de Economia

Pedro Lima

Pedro Lima

Editor-adjunto

A semana foi diferente no Ministério da Economia com a preparação da cerimónia de apresentação das novas medidas para as startups marcada para segunda-feira. A presença do primeiro-ministro exige medidas excecionais de segurança e, na tarde de terça, quando Manuel Caldeira Cabral recebeu o Expresso no seu gabinete da Horta Seca, os ‘homens’ da segurança de António Costa estavam a avaliar o espaço onde irá decorrer a conferência. São vários os trunfos que o ministro da Economia tem na manga para o sector tecnológico que, nos últimos anos, tem sido uma das bandeiras desta nova fase da economia portuguesa. A fase da Web Summit, dos unicórnios — já há dois com sotaque português, a Farfetch e a Outsystems — e da economia digital.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido