Economia

Combustíveis e restaurantes fazem disparar a inflação em junho

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor atingiu 1,5% em junho, indicam os dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. Um valor que compara com 1% em maio

O aumento dos preços em Portugal acelerou em junho, com a inflação - medida pela variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor - a atingir 1,5%, indicam os dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Este é o valor mais elevado desde novembro de 2017 e traduz um aumento de 0,5 pontos percentuais face à inflação homóloga registada em mai e ocorre muito por causa dos preços dos combustíveis e de resturantes e hoteis. Afinal, as classes de despesa com variações homólogas de preços mais elevadas em junho foram a dos Transportes (onde se incluem os combustíveis), com 4,1%, e a dos Restaurantes e Hotéis, com 3,8%.

Mais ainda, o INE destaca estas duas classes de despesa em termos das principais contribuições positivas para a variação homóloga do IPC.

Em sentido contrário, a classe com contribuição negativa mais relevante foi a do Vestuário e Calçado.

Já em termos mensais, ou seja, em relação ao mês anterior, o IPC registou uma variação de 0,1% em junho (a variação mensal tinha sido de 0,4% em maio). Também aqui, a classe com maior contributo positivo para esta taxa foi a dos Transportes, com uma variação mensal de 0,7%.