Economia

A moda dos parques de trampolins: Portugal vai ter um dos maiores da Europa

Felix Tanguay vendeu a escola de esqui na Suíça e mudou-se com a família para Portugal, onde quer abrir vários parques de diversões

TIAGO MIRANDA

Fica na zona do Cacém, perto de Sintra, tem mais de 3 mil metros quadrados para diversões e pode receber 200 crianças por hora. Chama-se Quantum Park e foi criado por um suíço-canadiano que quis fazer em Portugal “um parque de sonho” para os filhos

Conceição Antunes

Conceição Antunes

texto

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

fotos

Fotojornalista

O “regresso às aulas”, em setembro, é a data prevista para a inauguração, na região de Lisboa, do Quantum Park, um parque coberto com mais de 3 mil metros quadrados de zona de diversões. Integrando trampolins, escalada e skate, é “um dos maiores da Europa” neste sector, tendo capacidade para receber 200 crianças por hora.

“Há outros parques em Inglaterra maiores, mas não com tantas atividades e em recinto fechado”, faz notar o promotor do Quantum Park, o canadiano-suíço Felix Tanguay, que vendeu a escola de esqui que tinha nos Alpes - “e era um negócio com muito sucesso” - para vir viver com a família para Portugal. Surfista, Felix Tanguay foi uma vez de férias à Ericeira, e foi o suficiente para se ficar encantado, ao ponto de decidir comprar lá uma casa e abrir uma página nova na sua vida. “A Ericeira é um sítio a que eu chamo lar. É o melhor na Europa para surf, e também um paraíso perto da capital”, resume.

A zona de escalada do Quantum Park permite 25 atividades diferentes

A zona de escalada do Quantum Park permite 25 atividades diferentes

tiago miranda

Ao mudar-se para Portugal, Felix Tanguay sentiu que “estava pronto para um novo desafio”. O que resultou no Quantum Park, que vai abrir na zona do Cacém, e que é inovador a nível mundial pela quantidade de diversões e pela dimensão, num recinto coberto. “Queria que os meus filhos tivessem um parque de diversões de sonho”, salienta o empresário, explicando como surgiu a ideia.

Trampolins com campo de basquete, torre de saltos e circuito Ninja
Logo à entrada do parque, a zona com coloridas paredes de escalada permite 25 atividades diferentes, que podem ser feitas por crianças a partir de quatro anos e também por adultos sem limite de idade.

Nesta zona de escaladas, o conceito diferenciador é ter o sistema de 'rappel' da marca Clip'n Climb, “o que é único em Portugal”, como enfatiza Felix Tanguay. “Cada parede de escalada tem atividades diferentes, de vários graus de dificuldade. Algumas têm contadores para fazer corridas em atividades a dois e todas permitem ver a pontuação”, descreve.

O parque tem uma série de atividades a pensar nas crianças mais pequenas

O parque tem uma série de atividades a pensar nas crianças mais pequenas

d.r.

A maior zona do parque é dedicada aos trampolins, que vai ter um campo de basquetebol e um campo de 'dodge ball', além de uma torre de saltos e “novidades nunca antes vistas em Portugal”, como o circuito Ninja Course, um percurso de corrida que envolve trampolins e cubos de esponja para cair em segurança.

A área de skate, com três diferentes tipos de rampa, também será “a primeira no mundo” a contar com um 'airbag' de quatro metros, para onde os 'skaters' se podem atirar depois dos saltos.

“Fizemos este 'airbag' especialmente a pensar em surfistas e skaters que queiram treinar novos truques”, conta Felix Tanguay.

Os preços variam com as atividades que se pretende fazer, tendo como base €12 por hora

Os preços variam com as atividades que se pretende fazer, tendo como base €12 por hora

d.r.

“É um parque para famílias, não é uma atração turística”

Os preços variam com o tipo de atividades que se quer fazer, e a base serão €12 por hora no caso de trampolins ou escaladas (mas que poderão ser acrescidos em pacotes com almoço incluído, por exemplo). No caso de se querer praticar só 'skate', os preços serão de €5, sem limite de tempo.

Em Portugal já existe o Bounce, em Alfragide, à saida de Lisboa, que abriu em dezembro de 2015. Tem mais de 100 trampolins interligados e é o primeiro recinto coberto na Europa nesta área. Em 2018 abriram no país mais dois parques de trampolins, o Jumpers, no Porto, e o UPUP, em Sintra.

A previsão para o Quantum Park - “com o dobro do tamanho do atual maior parque do país” - é receber 10 mil pais e crianças por mês. Os mercados-alvo são “famílias, escolas e também empresas em ações de 'team building'”. Como sublinha Felix Tanguay, o parque foi pensado “mais para famílias portuguesas, e não como atração turística, embora esteja aberto a que os turistas o possam frequentar”.

A zona de trampolins do Quantum Park, na reta final dos acabamentos

A zona de trampolins do Quantum Park, na reta final dos acabamentos

tiago miranda

Além da zona de diversões, o Quantum Park também conta com 5 salas para festas de aniversário (com capacidade para 100 crianças em simultâneo) e um espaço de restauração, “para os pais poderem descansar”.

Mais projetos na calha

O novo parque (Estrada das Ligeiras, 18-20) representa o primeiro passo do empresário suíço-canadiando ao estabelecer-se em Portugal, e no objetivo de ter mais projetos com a marca Quantum Park. Os parques de trampolins estão com uma popularidade crescente na Europa, e sobretudo nos Estados Unidos, onde já há mais de 800.

“Há dois anos que andávamos à procura de um espaço, queríamos estar presentes na região de Lisboa e Cascais com um espaço deste tipo”, conta Felix Tanguay, adiantando que “a ideia, depois de abrir este primeiro parque, é prosseguir para um segundo. Queremos ficar na indústria de diversões. Temos vários projetos, em Portugal ou fora do país, e este parque na zona de Lisboa servirá como base para a Quantum Park”.