Economia

Juros da dívida portuguesa em 2% com contágio italiano em crescendo

Os juros das Obrigações do Tesouro português a 10 anos subiram para 2% esta terça-feira ao final da manhã na sequência da continuação da escalada dos juros da dívida italiana que estão em novo máximo desde 2014. Moody's e DBRS analisam rating português na sexta-feira

Os juros (yields) da dívida portuguesa a 10 anos ultrapassaram a barreira dos 2% esta terça-feira ao final da manhã no mercado secundário das obrigações. Uma subida para este nível já não se verificava desde junho.

O aumento das taxas surge numa semana em que duas agências de notação, a Moody's e a DBRS, se vão pronunciar na sexta-feira sobre o rating da dívida portuguesa de longo prazo. Particularmente importante será a avaliação da Moody's que ainda mantém a dívida portuguesa na classificação de 'lixo financeiro'.

O movimento de subida dos juros abrange os periféricos do euro por efeito de um contágio em crescendo da subida do prémio de risco da dívida italiana que está claramente acima da barreira vermelha dos 300 pontos-base (equivalente a 3 pontos percentuais acima do custo de financiamento da dívida alemã, que serve de referência na zona euro).

A taxa das obrigações transalpinas subiu esta terça-feira para 3,7%, um máximo desde janeiro de 2014, e o risco está em máximos de cinco anos registando 312 pontos-base. O prémio para a dívida portuguesa é menos de metade do italiano.

O vice-primeiro-ministro Matteo Salvini disse esta terça-feira numa conferência económica organizada pela central sindical UGL (União Geral do Trabalho) que a dívida italiana está a sofrer "uma manobra dos especuladores ao estilo de Soros".