Economia

Saiba quais são os melhores mercados para as empresas portuguesas que vendem na internet

Busakorn Pongparnit/ Getty Images

Os 20 melhores países para as pequenas e médias empresas nacionais venderem online os seus produtos representam cerca de 80% do PIB e 55% da população mundiais, conclui um estudo encomendado pela Associação da Economia Digital (ACEPI) à consultora IDC

Quais são, a nível mundial, os mercados com maior adesão aos produtos das pequenas e médias empresas (PME) portuguesas através da Internet? E que produtos são estes? Foi a estas e outras questões que o estudo "Top 20 Principais Economias na área do comércio eletrónico e de maior potencial de adesão aos produtos nacionais" procurou responder. Comissionado pela ACEPI - Associação da Economia Digital à consultora especializada em tecnologias de informação IDC - International Data Corporation, foi esta quarta-feira apresentado em Lisboa.

O Reino Unido, os Estados Unidos, a França, a China, a Espanha e a Alemanha são os seis países com maior potencial de adesão aos produtos nacionais vendidos através da internet. Também a Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Holanda, Índia, Itália, Japão, Marrocos, Polónia, Suécia, Suíça, Turquia e Rússia estão entre as 20 principais economias na área do comércio eletrónico português.

Juntos, estes 20 países representam cerca de 80% do PIB e 55% da população mundiais.

O estudo teve em conta que a exportação de bens (excluídos os serviços) em Portugal ultrapassou os 50 mil milhões de euros, com um peso de 26% no PIB, bem como a tipologia de produtos com maior sucesso a nível global.

Nos 20 países considerados, os produtos portugueses mais vendidos na internet foram os produtos elétricos e eletrónicos (23,5%), produtos alimentares e bebidas (21,4%), vestuário (18%), mobiliário e decoração (16%), calçado e acessórios (12%) e têxteis (9,1%).

As receitas destas seis tipologias representam mais de 15,9 mil milhões de euros e 32% do total de exportações de bens.

As 20 economias com maior potencial de adesão aos produtos nacionais vendidos online foram identificadas tendo em conta critérios como as exportações (ou seja, se são países relevantes no contexto atual das exportações de produtos pelas PME portuguesas), riqueza e população (se representam as maiores economias mundiais) e uma maturidade digital que favoreça as exportações online.