Internacional

Ghouta Oriental. ONU saiu da região sem entregar a ajuda toda

ABDULMONAM EASSA/ Getty Images

Bombardeamentos não cessaram enquanto a ajuda era entregue à população, disse Sajjad Malik, representante da Agência das Nações Unidas para os Refugiados, segundo o qual os civis estão a ser mantidos “reféns de uma situação trágica”

O comboio de ajuda humanitária que entrou esta segunda-feira no enclave rebelde de Ghouta Oriental, perto de Damasco, capital da Síria, retirou-se ao início da noite sem ter entregue toda a carga, distribuída “no meio de bombardeamentos”, informou a ONU.

“O comboio humanitário com destino a Goutha oriental está a retirar-se de Douma quase nove horas depois. Entregámos o máximo de ajuda possível no meio dos bombardeamentos”, escreveu na rede social Twitter Sajjad Malik, representante da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). O responsável acrescentou que os civis estão a ser “mantidos reféns de uma situação trágica”.

Os 46 camiões com ajuda médica e alimentos, segundo o Departamento de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA), foram o primeiro comboio humanitário a entrar no enclave desde o lançamento, a 18 de fevereiro, da operação militar do regime que já matou mais de 700 civis, de acordo com uma organização não-governamental. Os carregamentos incluíam 5.500 parcelas de comida para mais de 27.500 pessoas, sendo que cada parcela deverá alimentar uma família de cinco pessoas apenas durante um mês. “O comboio humanitário teve que abreviar sua missão, quando nove camiões ainda não tinham sido descarregados”, disse à agência France Press um funcionário local.

De acordo com Linda Tom, do escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) em Damasco, os bombardeamentos continuaram durante o descarregamento da ajuda. “Não foi permitida a entregue de vários medicamentos e por isso há camiões que só estarão parcialmente cheios”, disse a responsável, citada pela “CNN”. Ainda segundo Linda Tom, alguns membros do organismo para o qual trabalha foram impedidos por oficiais do regime sírio de entrar em Ghouta Oriental.

Um ataque aéreo atingiu Douma enquanto o comboio ainda estava na cidade, assegurou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

A ONU recebeu as autorizações necessárias para distribuir ajuda para 70.000 pessoas” (vivem no enclave mais de 350 mil), estando prevista a entrada de um segundo comboio humanitário na próxima quinta-feira.