Internacional

Ministro alemão pede frente unida contra a Rússia mas para reduzir tensões

Adam Berry/Getty Images

Num artigo assinado no jornal “Die Welt”, Michael Roth, ministro dos Assuntos Europeus, defende que as sanções europeias devem manter-se mas com o objetivo de trazer a Rússia de volta à mesa das negociações

O ministro alemão dos Assuntos Europeus, Michael Roth, pediu à União Europeia que adote uma frente unida contra a Rússia com o objetivo de reduzir as tensões entre os dois blocos. Num artigo assinado esta segunda-feira no jornal “Die Welt”, Roth alertou que os “reflexos antirrussos” são tão perigosos como a ingenuidade quanto ao caminho “nacionalista” que a Rússia está a trilhar.

A posição do governante vem temperar uma linha mais dura que parecia estar a ser seguida pela chanceler Angela Merkel (CDU) e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas (SPD), sobretudo depois do ataque ao ex-espião Sergei Skripal no Reino Unido, amplamente atribuído à Rússia.

Para Roth, as sanções europeias devem manter-se mas com o objetivo de trazer a Rússia de volta à mesa das negociações. O artigo do ministro está a ser interpretado como uma forma de refletir as visões mais pró-russas dos membros do SPD.

“As sanções não são um objetivo em si mesmas. Elas devem encorajar as pessoas a regressar à mesa das negociações para trabalharem em soluções razoáveis... Reflexos antirrussos são tão perigosos como relativizar ingenuamente as políticas nacionalistas da liderança russa”, escreve o governante.