Internacional

Papa Francisco preocupado com espiral de violência na Terra Santa

ANDREAS SOLARO/GETTY

Papa Francisco descontente com o ambiente de violência que se vive entre israelitas e palestinianos. “Violência nunca leva à paz”, diz o papa

O Papa Francisco mostrou-se esta quarta-feira muito preocupado e triste com a espiral de violência na Terra Santa e no Médio Oriente e apelou ao caminho da paz e das negociações na região.

No final de uma audiência geral celebrada quarta-feira na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Papa convidou "todas as partes envolvidas e a comunidade internacional a renovar o seu empenho para que prevaleça o diálogo, a justiça e a paz".

"Estou muito preocupado e agastado com o agravamento da tensão na Terra Santa e no Médio Oriente e com a espiral de violência que cada vez mais se afasta do caminho da paz, do diálogo e das negociações", disse.

O Papa expressou também a sua tristeza pelos mortos e feridos e solidarizou-se com todos aqueles que estão em sofrimento.

"Reitero que o uso da violência nunca leva à paz, a guerra exige guerra e a violência pede violência", advertiu.

O sumo pontífice disse também desejar que a época do Ramadão, o mês sagrado para os muçulmanos, que começa na quinta-feira, ajude a ir pelo " caminho de Deus, que é o caminho da paz".

Francisco referia-se à situação que se vive na fronteira de Gaza onde pelo menos 60 palestinianos morreram e mais de duas mil ficaram feridas na sequência de manifestações contra a transferência da embaixada dos Estados Unidos de Telavive para Jerusalém.