Internacional

Migrações. Seehofer empurra para Merkel o entendimento com Itália e Grécia

Horst Seehofer, Sebastian Kurz e Heinz-Christian Strache na conferência de imprensa em Viena: discussões a dois quando há ainda muito a esclarecer

CHRISTIAN BRUNA / EPA

De visita a Viena, o ministro alemão do Interior pouco explicou sobre a aplicação futura do acordo que fez com a chanceler para travar as migrações. Quando na Alemanha ainda se discutem o futuro da política de asilo, já Seehofer e os líderes austríacos conversaram sobre assuntos bilaterais relativos aos futuros Centros de Trânsito alemães para migrantes, que serão estabelecidos perto da fronteira austríaca

Esperava-se que o ministro do Interior alemão desse pormenores sobre o modo como o acordo sobre migrações que fez com a chanceler alemã na passada segunda-feira virá a ser aplicado na prática, mas durante a conferência de imprensa em Viena, Horst Seehofer empurrou para Angela Merkel o entendimento futuro desses termos com os primeiros-ministro de Itália e da Grécia, Giuseppe Conte e Alexis Tsipras.

O ministro alemão chegou na tarde desta quinta-feira a Viena para discutir com o chanceler e com o vice-chanceler austríacos, Sebastian Kurz e Heinz-Christian Strache, o plano de Berlim que vai impôr novos constrangimentos de fronteira. O objetivo principal é impedir os candidatos a asilo nos países europeus de passarem as fronteiras internas da UE, tentando travá-los a montante.

Horst Seehofer tranquilizou os vizinhos austríacos, que tinham expresso inquietação perante a possibilidade de os migrantes serem empurrados da Alemanha para a Áustria, declarando que os requerentes de asilo deveriam ser devolvidos aos países onde foram incialmente registados, nomeadamente Itália e Grécia, como prevê o Acordo de Dublin. Estes países deverão aceitá-los de volta, insistiu Seehofer.

É de prever que venha a ser reavivado o eixo Berlim-Viena-Roma contra a imigração ilegal no encontro de ministros da Justiça e do Interior que está marcado para os dias 12 e 13 deste mês em Innsbruck, no qual estará presente o ministro italiano desta pasta, Matteo Salvini. Este plano prevê que se trave a imigração ilegal fazendo que o fluxo de migrantes seja travado na sua origem, assim afastando o problema para as fronteiras externas da UE.

Um dia antes, a 11, Seehofer e Salvini encontram-se a dois a fim de preparar aquela reunião. “Vamos discutir soluções comuns para combater a imigração ilegal tanto entre países da UE como nas suas fronteiras externas”, disse Salvini à agência italiana ANSA. O encontro será ainda uma oportunidade para “preparar uma proposta comum contra o terrorismo e reforçar a segurança interna”, rematou o responsável pela administração interna italiana.