Internacional

Grécia tomará medidas contra Rússia devido a interferência no caso da Macedónia

“A Rússia tomará as medidas recíprocas, como costuma acontecer em tais circunstâncias”, disse um porta-voz do Ministério do Negócios Estrangeiros russo

A Grécia vai tomar "as medidas necessárias para garantir o interesse nacional" após a "interferência" por parte das autoridades russas na resolução de uma disputa entre a Grécia e a Macedónia, afirmou esta quarta-feira uma fonte do Governo grego.

Esta fonte, no entanto, não confirmou a natureza dessas "medidas" e nem forneceu mais detalhes, após ter sido convidada a comentar um artigo do diário Kathimerini.

O texto do jornal, citando fontes diplomáticas, refere que Atenas está a preparar-se para expulsar dois diplomatas russos e proibir a entrada no país de outros dois.

"Houve uma interferência no 'dossier' macedónio", referiu a fonte governamental.

"A Rússia tomará as medidas recíprocas, como costuma acontecer em tais circunstâncias", disse à agência de notícias francesa AFP, em Moscovo, um porta-voz do Ministério do Negócios Estrangeiros russo.

A Grécia e a Macedónia assinaram um acordo, em meados de junho, para resolver a sua disputa de 27 anos sobre o uso do nome da Macedónia, visando ainda o levantamento do bloqueio grego à entrada da antiga República jugoslava na NATO.

O acordo definiu que Skopje irá trocar o nome do seu país para Macedónia do Norte.

A NATO deverá tomar nota dos progressos nas relações entre os dois países na reunião desta quarta-feira da organização, em Bruxelas.

No entanto, a fonte do Governo grego declarou que Atenas "mantém os canais de comunicação" com a Rússia, com a qual a Grécia "não tem problemas".

A prova de amizade entre os dois países está no facto, segundo a fonte governamental, de a Grécia não ter expulsado diplomatas russos após o envenenamento do agente duplo russo Serguei Skripal no Reino Unido.

Vários países europeus acabaram por expulsar diplomatas russos dos seus países depois deste caso.