Internacional

Trump: aliados europeus não gastam o suficiente. Tusk: estime os seus aliados, não tem muitos. Cimeira da NATO arranca hoje

THIERRY CHARLIER/AFP/Getty Images

Cimeira da Aliança Atlântica já está a ser marcada pela troca de argumentos entre Presidente dos EUA e Presidente do Conselho Europeu via Twitter. Dados da NATO confirmam que 24 dos 29 membros da organização deverão gastar este ano menos do que o compromisso assumido em 2014. Trump prevê que cimeira pode ser mais difícil do que a reunião com Putin na próxima segunda-feira

A cimeira da NATO que arranca esta quarta-feira em Bruxelas já está a ser marcada pela troca de argumentos entre o Presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, via Twitter. Enquanto o primeiro repetiu as críticas aos aliados europeus por não gastarem o suficiente em defesa, o segundo sugeriu ao primeiro que estimasse os seus aliados porque não tinha muitos.

“Muitos países da NATO, que se espera que defendamos, não estão apenas abaixo do compromisso atual de 2% (que é baixo), mas também são negligentes em relação aos muitos anos de pagamentos que não fizeram. Irão reembolsar os EUA?”, escreveu Trump. Os 2% de que fala dizem respeito ao compromisso assumido pelos aliados em 2014 de gastarem 2% do seu Produto Interno Bruto (PIB) em defesa.

Dados da Aliança Atlântica, divulgados esta terça-feira, confirmam que 24 dos 29 membros da organização deverão gastar este ano menos do que o compromisso assumido. Atualmente, os EUA gastam mais de 3,5% do seu PIB em defesa. Os outros países cumpridores são a Grécia, a Estónia, o Reino Unido e a Letónia.

Por outro lado, se é certo que Washington assegura cerca de 22% dos custos operacionais da NATO, os responsáveis europeus afirmam que apenas 15% dos gastos totais dos EUA em defesa acontecem na Europa em operações da Aliança Atlântica.

Donald Tusk respondeu ao Presidente norte-americano, dirigindo-se diretamente a ele via Twitter. “Caro Donald Trump, os EUA não têm nem terão um aliado melhor do que a União Europeia. Gastamos em defesa muito mais do que a Rússia e tanto quanto a China. Espero que não tenha dúvidas de que este é um investimento na nossa segurança, o que não pode ser dito com confiança sobre os gastos russos e chineses”, escreveu.

Tusk lembrou a Trump que foram tropas europeias que lutaram e morreram no Afeganistão depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos EUA. Mas Trump continua a defender que os aliados estão a aproveitar-se dos Estados Unidos, prevendo que a cimeira da NATO pode ser mais difícil do que a reunião com o Presidente russo Vladimir Putin, marcada para a próxima segunda-feira na Finlândia.

  • Trump diz que poderia ter uma boa relação com Putin. Ou talvez não

    A afirmação foi feita, esta terça-feira, pelo Presidente dos EUA numa conferência de imprensa com os líderes da Estónia, Lituânia e Letónia. Países Bálticos pediram a Trump posição mais dura em relação a Putin. “Ninguém tem sido mais duro com a Rússia do que eu” foi a resposta

  • Trump acusa aliados da NATO, incluindo Portugal, de gastarem pouco e diz que EUA estão a perder a paciência

    Na edição desta terça-feira, o jornal “The New York Times” revela passagens da carta endereçada à chanceler alemã. Na próxima semana, os membros da Aliança Atlântica encontram-se em Bruxelas, uma reunião deverá destacar divisões no seio da organização. O mal-estar deverá jogar a favor do Presidente da Rússia, com quem Trump se encontrará na Finlândia, após cimeira da NATO

  • Exercício de grande envergadura da NATO arranca na Polónia e nos Países Bálticos

    O exercício multinacional anual é, segundo o Exército dos EUA na Europa, “a plataforma para validar a capacidade coletiva de responder rapidamente”. “Quando as infraestruturas da NATO se aproximam diretamente das nossas fronteiras, isso certamente não contribui para a segurança e estabilidade do continente”, afirmou um porta-voz russo. O Saber Strike 18 terá lugar até 15 de julho na Polónia, Estónia, Letónia e Lituânia