Internacional

“Migração em cadeia não é aceitável”, a menos que seja para os sogros de Trump

Amalija e Viktor Knavs, pais de Melania Trump, com o advogado Michael Wildes ao centro

Drew Angerer/Getty Images

Os pais eslovenos da primeira-dama tornaram-se esta quinta-feira cidadãos americanos, apesar de o Presidente dos EUA ser muito crítico do programa que permite a cidadãos americanos adultos conseguirem residência para os seus familiares. “Quando é a família de Melania, é ‘reunificação familiar’ e deve ser aplaudida. [Para] qualquer outra pessoa, é ‘migração em cadeia’ e deve ser travada”, criticou estratega republicana

Os sogros eslovenos de Donald Trump, Viktor e Amalija Knavs, tornaram-se esta quinta-feira cidadãos americanos numa cerimónia privada em Manhattan. Até aqui nada de surpreendente, não fosse dar-se o caso de os pais da primeira-dama terem recorrido ao programa que o Presidente dos EUA apelida de “migração em cadeia”.

Trump tem criticado repetidamente o programa que permite a cidadãos americanos adultos conseguirem residência para os seus familiares. Em novembro do ano passado, escreveu no Twitter: “A MIGRAÇÃO EM CADEIA tem de acabar agora! Algumas pessoas chegam e trazem toda a sua família com elas, que pode ser verdadeiramente má. NÃO ACEITÁVEL!”.

Questionado pelos jornalistas, o advogado dos pais de Melania Trump, Michael Wildes, disse que a migração em cadeia é um modo “mais sujo” de caracterizar o que apelidou de “uma pedra fundamental do processo de imigração [americano] quando se trata de reunificação familiar”.

De acordo com os estatutos da imigração, citados pelo jornal “The New York Times”, os sogros de Trump precisavam de ter os seus ‘green cards’ (cartões de residência permanente nos EUA) há pelo menos cinco anos para se candidatarem à cidadania americana, além de terem de cumprir outros requisitos.

O tempo de processamento de um pedido de naturalização em Nova Iorque demora habitualmente entre 11 e 21 meses, segundo os Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA. O advogado dos Knavs garantiu que o casal cumpriu a exigência dos cinco anos, acrescentando que não podia fazer “mais comentários”.

Em reação, a estratega republicana e comentadora política Ana Navarro escreveu no Twitter: “Acho que quando é a família de Melania, é ‘reunificação familiar’ e deve ser aplaudida. [Para] qualquer outra pessoa, é ‘migração em cadeia’ e deve ser travada”.

  • Donald Trump. A América que adoramos odiar

    O excêntrico empresário dominou as atenções desde o início da caminhada para as presidenciais. No dia em que foi eleito Presidente dos EUA, republicamos um artigo de 5 de setembro de 2015 em que tentamos perceber o que vai na cabeça do homem que ameaça deixar a política americana de pernas para o ar

  • A misteriosa Melania Trump

    Quase sem se dar por ela, a “menina Knavs” tornou-se a primeira-dama dos EUA. Ambição e discrição foram a receita do sucesso de um percurso de vida que ainda hoje gera polémica nos tribunais do país natal, como contaram ao Expresso várias fontes ligadas aos Trumps