Política

Militar português morre no Mali

HABIBOU KOUYATE / AFP / Getty Images

Sargento-ajudante Paiva Benido, que integrava o Contingente Nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, faleceu vítima de um ataque de elementos rebeldes, informa o Exército em comunicado enviado às redações

Carlos Abreu

Jornalista

O sargento-ajudante Paiva Benido, de 42 anos, que integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, faleceu este domingo vítima de um ataque de elementos rebeldes que deixou ainda feridos diversos militares, incluindo um português, informa o Exército.

De acordo com o breve comunicado enviado esta manhã às redações, o militar português que ficou ferido, o qual não é identificado, “já se encontra completamente recuperado”.

Segundo um outro comunicado do Estado-Maior-General das Forças Armadas, o “ataque terrorista” aconteceu no Hotel Le Campement Kangaba “reconhecido e autorizado pela EUTM Mali como Wellfare Center entre os períodos de atividade operacional dos militares que prestam serviço neste país”.

Fonte do Exército disse esta manhã à Lusa que o Sargento-ajudante Gil Fernando Paiva Benido, casado e pai de duas filhas menores, era natural de Valongo e prestava serviço no Comando de Pessoal no Porto.

Foi igualmente através de um comunicado que o ministro da Defesa manifesta “em seu nome pessoal e em nome do Governo, profundo pesar pelo falecimento do militar”, acrescentando que “o ataque que ocorreu ontem [domingo] pelas 16h nas imediações de Bamako”, capital do Mali.

Segundo o Ministério da Defesa, “desconhecem-se ainda os contornos precisos deste ataque, tendo sido instaurado já um inquérito pelo Estado-Maior General das Forças Armadas para conhecer em pormenor as circunstâncias em que ocorreu”.

Portugal tem atualmente uma Força Nacional Destacada de 10 militares a prestar serviço na missão da União Europeia no Mali.