Política

Pacheco Pereira revela que Santana quis formar um novo partido em 2011

Para Santana Lopes, em 2011 o PSD, já sob a liderança de Passos Coelho, estava “morto”, revelou Pacheco Pereira esta quinta-feira à noite, no programa “Quadratura do Círculo” da SIC Notícias

Ao nível do discurso oficial nos últimos meses, Santana Lopes sempre usou o argumento da “lealdade” para com o PSD e com o seu quase ex-líder Pedro Passos Coelho, para cativar o voto dos militantes sociais-democratas para as eleições internas que se realizam este sábado.

Nomes como Luís Montenegro, Hugo Soares e Miguel Relvas, figuras de destaque do PSD e fiéis apoiantes de Passos Coelho, já anunciaram publicamente que preferem Santana Lopes à fr4ente do PSD.

Mas na noite desta quinta-feira, o ex-deputado do PSD José Pacheco Pereira revelou, no programa “Quadratura do Círculo” da SIC Notícias, que em 2011 foi abordado por Santana para formar um novo partido, que concorreria contra o PSD já liderado por Passos Coelho nas eleições legislativas.

Pacheco Pereira diz que recebeu um telefonema de Santana Lopes para um encontro que ocorreu num hotel em Lisboa. “Santana Lopes disse-me a mim e a outras pessoas – por isso não vale a pena negar – que queria fazer outro partido. Estava muito indignado, porque no PSD estava a acontecer uma transição de pessoas que o enojava”, atirou.

Para Santana Lopes, segundo Pacheco Pereira, nessa época, o PSD estava “morto”. Ou seja, o novo partido que pretendia criar iria disputar as eleições com o PSD.

Pacheco Pereira recusou o convite e como se sebe o novo partido não chegou nunca a nascer. “Semanas depois, estava a fazer campanha com Passos Coelho. Santana Lopes entra em contradição com tudo o que anda a dizer em campanha”, lembrou.

Ainda no mesmo programa, Pacheco Pereira criticou a falta de qualidade na campanha à liderança do PSD, anunciando que vai votar em Rui Rio, algo que “não é surpresa para ninguém”, disse.