Política

Advogados distinguem Eanes com medalha de ouro da sua Ordem

António Ramalho Eanes na sua casa, em Lisboa

António Pedro Ferreira

Depois de ser distinguido com as Ordens da Liberdade, Avis, Torre Espada, entre outras condecorações civis e militares, nacionais e estrangeiras, Ramalho Eanes vai ser homenageado pelos advogados portugueses, pelo “seu relevante contributo, acção e mérito, para a defesa dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos”

Aos 83 anos, o ex-Presidente da República António dos Santos Ramalho Eanes vai ser distinguido com a medalha de ouro da Ordem dos Advogados pelo “seu relevante contributo, acção e mérito, para a defesa dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, identificando-se com os ideais da justiça, da defesa, do acesso ao direito e da construção do Estado de direito”.

O general que esteve no 25 de Abril de 1974, no 25 de Novembro de 1975, foi o primeiro PR eleito pelos portugueses e tem o seu nome ligado à fundação do Partido Renovador Democrático que teve sucesso eleitoral nas legislativas de 1985, é um homem discreto na atuação e parco na concessão de entrevistas.Nos anos da crise foi uma das vozes que intervieram em favor dos menos favorecidos. Apologista da igualdade, foi ele quem nomeou a primeira e única mulher que até hoje ocupou o cargo de primeira-ministra em Portugal.

A única Primeira-ministra. Nos últimos cinco meses de 1979, Maria de Lurdes Pintasilgo chefiou o Governo de Portugal (Pintasilgo, Eanes e a secretária de Estado Teresa Santa Clara Gomes)

A única Primeira-ministra. Nos últimos cinco meses de 1979, Maria de Lurdes Pintasilgo chefiou o Governo de Portugal (Pintasilgo, Eanes e a secretária de Estado Teresa Santa Clara Gomes)

Rui Ochôa/Expresso

Em agosto de 1979, o então Presidente Ramalho Eanes, escolheu Maria de Lourdes Pintasilgo para chefiar o V Governo Constitucional “pela sua personalidade, ética e carácter. Quando o carácter é mau, os resultados são negativos”.

A “grande determinação” de Pintasilgo e o facto da engenheira ser uma mulher conhecida nos meios internacionais, sobretudo nos movimentos católicos onde militava desde muito jovem, e com provas dadas em matéria de qualidades de chefia, também pesaram na decisão de Eanes.

Quando foi eleito em junho de 1976, António Ramalho Eanes, tinha 41 anos, e a mulher 37. Manuel, o filho mais velho do casal, já era nascido e, nos primeiros meses, o casal continuou a residir na vivenda do Bairro da Madre de Deus, onde ainda hoje moram.A instabilidade política que então se vivia, depressa mostraria que a casa - com porta direta para a rua - não tinha condições de segurança adequadas. Quando se mudaram para Belém, Maria Manuela Duarte Neto Portugal Ramalho Eanes, pode confirmar as palavras de Estela Costa Gomes sobre o mau estado de conservação do Palácio; o certo é que na altura escasseava o dinheiro para a sua renovação.

Miguel, o filho mais novo do ex-Presidente Ramalho Eanes, nasceu a 20 de outubro de 1977 batizado na Capela do Palácio de Belém

Miguel, o filho mais novo do ex-Presidente Ramalho Eanes, nasceu a 20 de outubro de 1977 batizado na Capela do Palácio de Belém

ARQUIVO A CAPITAL

A 20 de outubro de 1977, nasceu Miguel, o segundo filho do casal. O nascimento do bebé foi noticiado em quase toda a imprensa da época, e emprestou uma providencial simpatia à imagem distante e austera do então Presidente. Miguel foi batizado na capela do Palácio de Belém, e o irmão foi o padrinho.

Fez o doutouramento na Universidade de Navarra depois de ter deixado de ser Presidente, recusou ser promovido a Marechal e não aceitou cerca de um milhão de euros em retroativos, entre muitos outros acontecimentos e atitudes.

A medalha de ouro vai ser entregue na abertura do 8º Congresso dos Advogados Portugueses, que se realiza esta quinta-feira, no Montebelo Hotel, em Viseu.

  • O Presidente que não quer ser biografado

    Eanes fez esta quarta-feira 82 anos e não quis assistir à apresentação de um novo livro sobre o seu papel na História de Portugal. Ao contrário dos também ex-Presidentes Mário Soares e Jorge Sampaio, recusa entrevistas ou contributos para obras desta natureza. É uma rara forma de ser, numa época em que são muitos os que querem dar a sua versão dos acontecimentos

  • Portugal já teve 19 Presidentes, 9 viveram em Belém e 5 pagaram renda

    Ao longo de 105 anos já houve dois casamentos no Palácio Presidencial, um velório, um batizado, e os cinco Presidentes da I República que moraram em Belém pagaram renda. A Ditadura Militar acabou com esta lei. Dos três PR do Estado Novo, só Craveiro Lopes morou na residência oficial. Na Democracia, Spínola, Costa Gomes e Eanes instalaram-se com as respetivas famílias no palácio, por motivos de segurança. O Expresso pediu para ver imagens da cozinha... mas esta é classificada como zona reservada

  • Em 1911, o 1.º Presidente ganhava 15 vezes mais do que um deputado. E agora?

    Na época da Ditadura Militar, Carmona ganhou como ministro durante dois anos. Em 1981, Ramalho Eanes vetou uma lei que teria duplicado o seu salário. Em 2011, Cavaco optou por receber a pensão de reforma, por ser mais alta do que o salário de PR. Saiba (quase) tudo sobre os salários do chefe do Estado desde a implantação da República