Política

Habitação. PS exige “responsabilidade” ao PCP e admite dialogar à direita para aprovar lei

alberto frias

Os socialistas querem que o PCP aprove o pacote de apoio à habitação desenhado pelo Governo e apelam à "responsabilidade" dos comunistas. No limite, admitem falar como PSD

A paciência esgotou-se no PS. Os socialistas decidiram adiar as votações das propostas sobre habitação, entre as quais se incluem o programa de renda acessível e a criação de novos benefícios fiscais para os senhorios, por falta de consenso à esquerda. Agora, exigem “responsabilidade” ao PCP e admitem, no limite, dialogar com o PSD para fazerem aprovar o novo pacote legal.

Em declarações aos jornalistas no final da reunião da bancada parlamentar do PS, João Torres lamentou o facto de não ter sido possível chegar ainda a um consenso parlamentar e apontou o dedo, implicitamente, ao PCP, que se tem oposto, desde o momento inicial, à concessão de benefícios fiscais aos senhorios. “É fundamental que cada grupo parlamentar assuma as suas responsabilidades. Este momento não se pode traduzir numa oportunidade perdida”, sublinhou o deputado socialista.

Desafiado a esclarecer se o PS está ou não disposto em encontrar um acordo com o PSD para fazer aprovar um pacote sobre habitação, João Torres não afastou essa possibilidade. “O PS nunca enjeitou qualquer tipo de diálogo na Assembleia da República para fazer face a esta problemática”, sugeriu o parlamentar.

O PCP já avisou que não aprovará qualquer benefício fiscal para os senhorios - uma medida que o governo já qualificou como prioritária -- como consta no diploma Governo. Os socialistas queriam beneficiar aqueles senhorios que aderissem ao programa de rendas acessíveis ou optassem por arrendamentos de longa duração. Até ao momento, no entanto, não há acordo à esquerda no horizonte.