Revista de imprensa

Angola e Brasil voltaram a ser o ‘pulmão’ das exportações portuguesas em 2017

Tiago Miranda

Dos cinco mil milhões de euros registados em exportações no último ano, 1,6 mil milhões de euros vieram de dois grupos de produtos: combustíveis e veículos automóveis

Após um período de queda da procura, devido à recessão financeira que esses mesmos países enfrentavam, Angola e Brasil, em 2017, voltaram a ser as duas nações que mais contribuíram para as exportações portuguesas, conta o “Jornal de Negócios” esta segunda-feira.

Segundo o matutino, entre 2016 e 2017, as exportações de mercadorias portuguesas aumentaram mais de cinco mil milhões de euros - o equivalente a uma variação de 10,1%, a mais elevada desde 2011.

Do montante registado em exportações no último ano, 1,6 mil milhões de euros vieram de dois grupos de produtos: combustíveis e veículos automóveis - cerca 32% da variação anual.

De acordo com o “Negócios”, a recuperação de alguns mercados foi decisiva para o bom resultado das exportações no ano passado. O caso do Brasil, por exemplo: foi responsável por 8% do crescimento das vendas.

Em 2017, Brasil, Angola e China tiveram os crescimentos mais elevados entre os 11 mercados mais relevantes para as exportações portuguesas, com variações de 75%, 19% e 25%, respectivamente.