Revista de imprensa

Ajudas à banca já custaram 17 mil milhões aos contribuintes

PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP/GETTY

Num passado recente, o único ano pior do que 2017 foi 2014, com o resgate do Banco Espírito Santo. Nesse ano, os apoios do Estado ao sistema financeiro superaram os 5,1 mil milhões de euros

Desde 2007, as ajudas do Estado à banca já custaram cerca de 17,1 mil milhões de euros aos contribuintes portugueses, avança o “Diário de Notícias” esta terça-feira. A fatura “em dívida” das instituições bancárias ao Estado engordou em 4,5 mil milhões de euros só no ano passado, devido à injeção de capital na Caixa Geral de Depósitos.

Segundo o que o Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou ontem, o resgate à Caixa do Estado no início de 2017 fez feito resvalar o défice público final do ano passado de 0,9% do produto interno bruto (PIB) para 3%.

Num passado recente, o único ano pior que 2017 foi 2014, com o resgate do Banco Espírito Santo. Nesse ano, os apoios do Estado ao sistema financeiro superaram os 5,1 mil milhões de euros e o défice final disparou para 7,2%.

Já em 2010, o Estado apoiou com 1,8 mil milhões de euros as ruínas do BPN – fatura que não cessa de engordar todos os anos.