Revista de imprensa

Trabalhadores a recibos verdes no Estado aumentaram 14,6% em 2017

DR

Desde 2013 que não existiam tantos trabalhadores a recibos verdes a trabalhar para o Estado; há cinco anos eram 28 mil os portugueses nesta situação, revela o “Público” esta terça-feira

Apesar de o Governo querer diminuir o número de precários no Estado (e de ter um programa em curso no mesmo sentido), o número de trabalhadores a recibos verdes nos organismos públicos voltou a aumentar no ano passado, revela o “Público” esta terça-feira. Segundo dados divulgados pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), os serviços do Estado central e as autarquias tinham, em 2017, 17.728 pessoas em regime de prestação de serviços, mais 14,6% do que em 2016.

Desde 2013, aponta o jornal, que não existiam tantos trabalhadores a recibos verdes a trabalhar para o Estado; há cinco anos eram 28 mil os portugueses nesta situação.

De acordo com os dados da DGAEP, mais de metade dos trabalhadores a recibos verdes (56% do total) tem ligação aos organismos da administração central, em particular nos serviços que dependem dos ministérios do Trabalho e da Segurança Social, da Saúde e da Ciência e Ensino Superior.

No Ministério do Trabalho em particular, foram identificadas 6113 prestações de serviços, número que representa 61% dos recibos verdes da administração central e um terço do total.

As estatísticas da DGAEP mostram também que 43,7% das prestações de serviço registadas no final de 2017 ocorreram na administração local. As câmaras, juntas de freguesia e outros organismos locais tinham 7746 trabalhadores com este tipo de vínculo, mais 3,8% do que em 2016.