Revista de imprensa

Caixa cobra uma das comissões mais altas a herdeiros

PAULO CUNHA/Lusa

A Caixa Geral de Depósitos é um dos bancos nacionais que mais cobra aos herdeiros para acederem aos dados financeiros dos falecidos e é o que tem mais clientes idosos ao nível nacional

Em caso de morte de um familiar, quase todos os bancos que operam no país cobram uma taxa aos herdeiros para que estes possam aceder aos dados financeiros do falecido. O banco do Estado, a Caixa Geral de Depósitos, é um dos que mais cobra e é aquele que mais clientes idosos tem ao nível nacional, avança o “Público” esta terça-feira.

Dos seis maiores bancos a operar em Portugal, a Caixa e o Novo Banco são os que cobram valores mais elevados. Já no sentido contrário, destaca-se o Santander: esta instituição não cobra qualquer valor.

A CGD cobra 55 euros, mais IVA de 23%, por cada conta existente na instituição - o único banco que faz esta distinção ao nível nacional. O matutino dá o exemplo de uma pessoa que teve de pedir acesso a cinco contas na Caixa e acabou por pagar uma fatura de 275 euros de comissões, mais IVA de 23% (338,25 euros no total).

O BPI, por sua vez, cobra 60 euros (IVA incluído). Já o BCP e a Caixa Económica Montepio Geral cobram 75 euros mais IVA.

O Novo Banco tem duas tarifas: 70 euros, se o cliente puder esperar até 30 dias pela informação; 150 euros em caso de urgência.