Sociedade

Ossadas encontrados em Gouveia serão da 112ª vítima dos incêndios

É provável mas “ainda não há certezas” de que ossos encontrados em Folgozinho sejam de Rui Costa, a 112ª vítima dos incêndios florestais de 2017. As ossadas são humanas, garante a PJ

As ossadas encontradas no final de dezembro, na aldeia de Folgozinho (Gouveia), serão provavelmente de Rui Costa, a 112ª vítima mortal dos incêndios florestais em 2015.

Segundo José Monteiro, coordenador da Polícia Judiciária (PJ) da Guarda, "é provável mas não há ainda 100% de certezas" de que os ossos encontrados naquela localidade afetada pelas chamas de outubro passado pertencem a Rui Costa, habitante naquela região.

A PJ já encontrou alguns ossos dispersos, bem como roupa queimada, que estão a ser analisados pelo Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), tal como já anunciou o "Jornal de Notícias".

E neste momento as autoridades estão a tentar recolher objetos pessoais de Rui Costa de modo a que o INML possa confirmar, ou não, de que se trata da mesma pessoa. A tarefa que tem sido dificultada por não existirem muitos familiares próximos da vítima. "As recolhas vão ser feitas em breve", diz José Monteiro que garante: "As ossadas são humanas."

O Expresso que esta quinta-feira um familiar de Rui Costa iria doar sangue para tentar verificar se tem o mesmo ADN das ossadas encontradas.

Ainda há uma semana, o Ministério da Justiça não confirmava as investigações, por dizer que ainda não se tinha certeza sequer se as ossadas eram humanas.