Sociedade

Quero que você me aqueça nesse inverno...

getty

Os dias frios pedem chávenas quentes nas mãos. Olhar a chuva ou ficar aninhado no sofá tem outro conforto quando se tem um mimo destes para aquecer a alma

Os invernos chuvosos clamam por aconchego. Por isso, e de preferência em frente a uma lareira ou de manta nas pernas, aqui ficam algumas sugestões de bebidas que rimam com a estação do ano em que mais nos recolhemos. Pode fazê-las em casa e bebericá-las até às flores despontarem, na primavera. Entre um chocolate quente e uma sidra, um copo de Gluhwein (vinho quente) ou um Irish Coffee, vai ver que nem lhe custa tanto esperar pelo fim do frio.

O vinho quente é talvez das bebidas mais reconfortantes do inverno. A melhor parte é que a qualidade final nem depende do néctar — ou seja, não é preciso um grande vinho para obter um bom Gluhwein — como lhe chamam os alemães. Esta bebida, que na Idade Média era consumida como remédio, tem como ingredientes extra açúcar mascavado, cravinho, pau de canela, rodelas de citrinos e flor de anis (coloque-o só no fim, para não ofuscar os outros sabores). Há quem acrescente amêndoas, e quem garanta que o segredo de um bom vinho quente é não parar de mexer. Certo é que só os aromas da bebida chegam para curar qualquer constipação. Conta-se que chegou a ser tão popular na Rússia que foi cozinhada em panelas nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial.

getty

Ainda no capítulo das bebidas quentes alcoólicas, o Irish Coffee recolhe o agrado de muitos. À base de café e uísque, leva ainda chantilly e açúcar. A sua história é curiosa. Reza que foi criado na década de 40, no porto de Foynes, na Irlanda, local que existia antes do aeroporto de Shannon. A bebida servia para aquecer os passageiros dos flying boats que chegavam da América do Norte. Conta-se que, certo dia, as condições atmosféricas estavam tão adversas que os passageiros tiveram de regressar ao ponto de partida. Como tal, o restaurante foi avisado para ter refeições e bebidas prontas. O chefe, Joseph Sheridan, decidiu então acrescentar algo mais aconchegante ao café quente que acabara de fazer. Adicionou-lhe uma dose de whisky e coroou-a com chantilly. Um passageiro norte-americano terá então inquirido: “Isto é café brasileiro?” Sheridan respondeu: “Não, é café irlandês...” Ficou assim batizado.

Em casa, se lhe apetecer fazer um Irish Coffee use uma dose de café, junte-lhe um shot de whisky e coloque, no topo, uma dose generosa de chantilly. Idealmente, um copo alto e largo é o mais adequado para desfrutar desta estimulante bebida.

A sidra é outra opção reconfortante para dias frios. Este néctar que tem a maçã por base não é tão difícil de fazer como se possa pensar. Com baixo teor alcoólico (5% a 7%), pode ser consumida quente ou fria. Muito antiga na sua origem — há quem a situe na civilização egípcia (3000 a.C.), embora os celtas, em 800 a.C. sejam os prováveis responsáveis da expansão da sidra pela Europa —, a bebida continua a ser especialmente popular em França, na Bélgica, no Reino Unido, nos EUA e na Alemanha, e claro, em Espanha, onde beneficia de uma denominação de origem na região das Astúrias, reconhecida pela União Europeia.

getty

Se quiser fazer um garrafão de sidra para o inverno, conte com cinco quilos de maçãs de diversas variedades (mais doces ou mais ácidas), um pacote de levedura e um recipiente de vidro grande com uma tampa. Lave bem as maçãs, corte-as em pedaços e coloque no processador até obter um puré da fruta. Com a ajuda de uma peneira, separe polpa e sumo e fique apenas com este último. Adicione-lhe um pacote de fermento e coloque num frasco com tampa.

Feche, agite por 10 segundos, e deixe descansar durante a noite. Quando vir borbulhas de gás dentro do frasco, retire a pressão, desenroscando a tampa e fechando-a novamente. Depois, leve ao lume brando cerca de uma hora, para matar qualquer bactéria. Não deixe ferver. Acrescente-lhe um quilo de açúcar mascavado e verta para um recipiente esterilizado mesmo até cima. Deixe arrefecer e adicione a levedura. Coloque a tampa (também esterilizada), e guarde num sítio frio e escuro, como a despensa. Ao fim de uns dias, a bebida vai começar a borbulhar. Dê-lhe uma semana para a levedura assentar e... já tem, qual celta, a sua porção de sidra para o inverno. Sabia que os Presidentes norte-americanos George Washington, John Adams e Thomas Jefferson eram consumidores habituais deste néctar?

Conforto para 
toda a família

Há clássicos que nunca passam de moda. Como o chocolate quente, por vezes o único conforto após um dia de chuva copiosa. Se não quiser perder tempo, há umas quantas marcas de chocolate em pó que são garante de prazer — Monbasa, Godiva, Cadbury’s... Mas se lhe apetecer uma versão caseira, precisa de chocolate em pó, açúcar amarelo, leite meio-gordo, farinha Maizena e chocolate culinário. Numa chávena, comece por misturar o chocolate em pó (1 colher de sopa), o açúcar amarelo (uma colher de chá) e a farinha Maizena (uma colher de chá). Vá juntando o leite (uma chávena) aos poucos, para unir a mistura. Ponha uma panela ao lume com o restante leite e junte tudo. Entretanto, derreta o chocolate culinário em banho-maria e adicione ao leite, sem parar de mexer. O chocolate quente está pronto quando estiver bem espesso. Se quiser, pode acrescentar uns pozinhos de especiarias a gosto: canela, pimenta rosa ou baunilha. E já está, uma delícia em estado líquido.

getty

Por falar em especiarias, há uma bebida quente que é uma explosão de sabores no palato. Falamos do tchai, o chá tradicional indiano, confecionado com chá preto, leite e especiarias. Aromático e fragrante, saboroso e reconfortante, beber um tchai é sinónimo de fechar os olhos e viajar até outro lugar. Na base estão leite gordo, chá preto e algumas especiarias como o gengibre, o cardamomo, a canela, o cravinho e a noz moscada. A combinação destes ingredientes tem um efeito calmante e dá uma sensação de bem-estar, além de ser um auxiliar natural da digestão. Se quiser fazê-lo em casa, ponha uma panela ao lume com uma chávena de água, outra de leite gordo, folhas de chá preto, uma colher de chá de gengibre ralado, quatro sementes de cardamomo, três cabeças de cravinho e um pau de canela. Quando começar a ferver, deixe em lume brando durante cinco minutos. Acrescente açúcar a gosto ou mel. Coe e deleite-se. Ao fechar os olhos, segure-se para não cair do seu tapete voador enquanto sobrevoa os Himalaias ou o Rajastão. E sinta o calor aquecer-lhe a alma.