Sociedade

Carrilho paga €2400 para evitar prisão por agressões a pedopsiquiatra

ANTÓNIO PEDRO SANTOS / LUSA

Juíza alegou que Manuel Maria Carrilho já tinha apresentado um pedido de desculpas formal a Pedro Strecht e que mostrou arrependimento.

Manuel Maria Carrilho foi esta quarta-feira condenado a oito meses de prisão por agressões ao pedopsiquiatra Pedro Strecht. Mas a pena foi substituída pelo pagamento de uma multa de 2400 euros.

A juíza sublinhou que Carrilho já tinha apresentado um pedido de desculpas formal a Pedro Strecht e demonstrado arrependimento. Nenhum dos dois esteve presente na leitura da sentença do julgamento.

Em causa esteve uma agressão do antigo ministro da Cultura a Pedro Strecht a 22 de janeiro de 2016, quando o pedopsiquiatra deu um parecer sobre o estado psicológico dos filhos do arguido durante o processo de divórcio com Bárbara Guimarães. O pedopsiquiatra afirmou em tribunal considerar Manuel Maria Carrilho manipulador na relação do filho Dinis relativamente à mãe. Descontente com o parecer, no intervalo do julgamento o ex-ministro agrediu Strecht empurrando-o contra a parede, e insultando-o de "filho da mãe", "cabrão", "miséravel" e "cafre".

Depois deste episódio, testemunhado por vários presentes, Manuel Maria Carrilho apresentou desculpas formais a Strecht, que ponderou desistir da queixa mas não podia, por tratar-se de crime público. Condenado a 8 meses de prisão, o ex-ministro não cumprirá pena, tendo esta sido substituída por uma coima.