Economia

EDP analisa coimas de 2,5 milhões de euros do Banco de Portugal

Foto Tiago Miranda

Em agosto a EDP revelava uma contingência máxima de €10 milhões num processo por exercício indevido da atividade de prestação de serviços de pagamento pela EDP Soluções Comerciais. O Banco de Portugal decidiu aplicar coimas de €2,5 milhões ao grupo EDP

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP foi notificada pelo Banco de Portugal (BdP) da aplicação de duas coimas, que somam €2,5 milhões, pelo exercício indevido da atividade de prestação de serviços de pagamento pela EDP Soluções Comerciais, prática reservada a instituições de crédito e similares. “Estamos a analisar”, disse a administradora da EDP Vera Pinto Pereira ao Expresso.

O processo de contraordenação do BdP veio a público em agosto, quando a EDP publicou o seu relatório do primeiro semestre, e nessa altura a elétrica apontava uma contingência máxima de €10 milhões.

Entretanto, o BdP avançou com a cobrança de coimas de €2,25 milhões à EDP Soluções Comerciais e de €250 mil ao Grupo EDP. Em causa está o processamento pela EDP de pagamentos de outros serviços (além da energia) de clientes municipais.

Nota: Por lapso, na sua edição deste sábado o Expresso refere que as coimas do Banco de Portugal ascendem a 1,5 milhões de euros, dos quais 1,25 milhões na EDP Soluções Comerciais e 250 mil euros no grupo EDP. Na verdade, as coimas aplicadas são de um total de 2,5 milhões, dos quais 2,25 milhões na EDP Soluções Comerciais. Aos leitores e visados as nossas desculpas.