Iniciativas e Produtos

Dicas de Saúde: vacinação contra a gripe

Até dezembro, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

A gripe é uma doença respiratória aguda e contagiosa, causada pelo vírus Influenza. Embora seja uma condição muito comum, pode ter um grande impacto na saúde da população. A nível global, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), estima-se que, por ano, 290 a 650 mil mortes estejam associadas a doenças respiratórias causadas pela gripe.

O vírus que causa esta doença é transmitido de pessoa para pessoa de forma direta, através da tosse e espirros, mas também de forma indireta, através do contacto com objetos contaminados com o vírus – por exemplo, maçaneta da porta, copos, telemóvel ou comando da televisão. Uma pessoa infetada pode transmitir o vírus a uma distância inferior a 2 metros.

Os seus sinais e sintomas surgem de forma súbita e podem incluir:

  • Febre alta, que pode durar cerca de 3 a 4 dias;
  • Dores de cabeça;
  • Dores musculares;
  • Cansaço;
  • Nariz entupido;
  • Dor de garganta;
  • Tosse;
  • Náuseas, vómitos e diarreia (frequente em crianças com menos de 5 anos)

A recuperação passa por repouso, ingestão de líquidos em abundância, evitar as mudanças de temperatura e, quando necessário, a toma de medicamentos para aliviar algumas das manifestações acima referidas.

A maior parte das pessoas tem uma recuperação completa em menos de duas semanas, contudo, a recuperação pode ser mais longa e o risco de complicações maior (pneumonia e/ou descompensação de alguma doença já existente) - em pessoas com doenças crónicas (prolongadas no tempo) e sistema imunitário comprometido ou, com idade igual ou superior a 65 anos, grávidas e crianças pequenas.

No SNS, a vacina vai continuar gratuita a partir dos 65 anos, para residentes ou internados em instituições, para os bombeiros e para pessoas com algumas doenças específicas. Nestes casos, a vacina não necessita de receita médica e dispensa também pagamento de taxa moderadora.

Além dos 1,4 milhões de doses adquiridas para o Serviço Nacional de Saúde, haverá também vacinas dispensadas nas farmácias através de prescrição médica, com uma comparticipação de 37%. “As campanhas tiveram algum efeito em vários aspetos, por exemplo, promoveram bastante a vacinação, que aumentou muito nos últimos anos, sobretudo contra a gripe, obviamente também com a gratuitidade das vacinas para pessoas acima dos 65 anos", salientou, em declarações à agência Lusa, o diretor do Serviço de Pneumologia A do Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra.

Como prevenir a Gripe?
Aliada aos estilos de vida saudáveis (alimentação completa, variada e equilibrada, atividade física regular, hábitos não tabágicos) e aos cuidados de higiene pessoal, a vacinação oferece uma proteção elevada, diminuindo a probabilidade de ter gripe e reduzindo a gravidade dos episódios e das suas complicações.

O vírus da gripe muda todos os anos e, a imunidade conferida pela vacina do ano anterior, além de não ser duradoura, não confere uma proteção adequada aos novos vírus, tornando desta forma essencial que a vacina da gripe seja administrada anualmente.

Está comprovado que a vacinação permite salvar vidas e prevenir casos de doença, mais do que qualquer outro tratamento médico.

Quer saber mais sobre a vacinação contra a gripe? Veja o vídeo.